O capitalismo industrial desenvolveu técnicas para modelar com eficácia corpos úteis e subjetividades dóceis. Agora, com seu desígnio de “digitalização universal”, a teleinformática e a biotecnologia pretendem obter mutações ainda mais radicais: a supressão das distâncias e das doenças, do envelhecimento e inclusive da morte. Para isso, o corpo humano deve se tornar um sistema de processamento de dados e um banco de informações genéticas, já que as novas “ciências da vida” apontam para sua hibridação com materiais inertes e para a reprogramação de suas células. Certa vocação fáustica impulsiona esses processos, tendentes a ultrapassar as antigas limitações biológicas para gerar uma “compatibilidade” tecno-humana que rejeita os enigmas ancestrais de sua espessura carnal. Este livro examina as bases filosóficas da tecnociência com o fim de decifrar suas articulações políticas, sociais e éticas, concluindo que o entrecruzamento de biologia e informática simplifica a complexidade humana para promover os mecanismos de controle engendrados pelo capitalismo contemporâneo.

O homem pós-orgânico

R$ 40,00Preço

  • TÍTULO: O HOMEM POS-ORGANICO: CORPO, SUBJETIVIDADE E TECNOLOGIAS DIGITAIS
    ISBN: 9788573162929
    IDIOMA: Português
    ENCADERNAÇÃO: Brochura
    ANO DE EDIÇÃO: 2011
    EDIÇÃO: 1ª

    AUTOR: Paula Sibilia